História de Carnaíba

carnaiba-pe

   Os primeiros registros históricos sobre Carnaíba datam do século XVIII. Neste período foram encontradas pinturas rupestres em pedras e furnas, feitas por índios, os primeiros habitantes da região. No período monárquico houve o inicio da colonização e exploração das terras. João Gomes dos Reis, fundador da cidade, chegou à região por volta de 1850 e, encantado com a beleza da paisagem local, ordenou a construção de sua residência, de uma Capela em honra a Santo Antônio e do cemitério da cidade. Almejando terras férteis, vários imigrantes deram inicio ao povoamento local, fixando residência em torno das benfeitorias realizadas por João Gomes. Deu-se ao povoado o nome de Lagoa da Barroca, devido à existência de tal acidente geográfico. Porém desde cedo os visitantes a chamavam de Carnaíba, nome originado das carnaubeiras que existiam em torno da lagoa.
 Somente na década de 1860, o nome Carnaíba seria oficializado em uma solenidade, caracterizada pela Santa Missa ministrada pelo Pe. Ibiapina, na capela de Santo Antônio. A partir deste período houve um intenso desenvolvimento econômico na agricultura, pecuária, e a criação de feiras livres, indústrias rurais de rapadura e farinha de mandioca, atraindo ainda mais moradores para a região. Diante deste desenvolvimento, Carnaíba seria elevada à categoria de Vila, através da Lei Nº. 04, de 29 de junho de 1893, com o título de Carnaíba das Flores. No período de 1900 a 1940, foram registrados fatos importantes: o desenvolvimento de atividades econômicas e religiosas, além do crescimento acelerado da população, de estabelecimentos comerciais e área arborizada.

Nesse período houve a fundação da Banda filarmônica, a iluminação pública passou a ser gerada por motor e surgiram as primeiras idéias de independência mobilizadas pelo Padre Frederico Bezerra Maciel, que também fundou a Paróquia no dia 20 de maio de 1945. Em 30 de dezembro de 1953, pela lei Nº. 1.818, Carnaíba de Flores comemorou a emancipação política, tornando-se cidade e recebeu o nome definitivo de Carnaíba. Nesta mesma data o Tenente Josias Vasco foi nomeado o primeiro prefeito do município, dando início ao calçamento das ruas e a substituição da arborização. Devido ao crescimento da população do município formaram-se dois distritos: Ibitiranga e Quixaba. Porém, em 1º de outubro de 1991, Quixaba desmembrou-se de Carnaíba, conquistando assim a emancipação política.

Filhos ilustres

Foi em Carnaíba que nasceu Zé Dantas, grande compositor sertanejo, conhecido por suas belas canções, como “O xote das meninas”, “Derramar o Gás”, “A Volta da Asa Branca”, “O Forró de Mané Vito”, “Vozes da Seca”, “Vem Morena”, “Algodão”, “Cintura Fina”, “Imbalança”, “Mané e Zabé”, “Minha Fulô”, “Noites Brasileiras”, “São João na Roça”, “Paulo Afonso”, “Riacho do Navio”, “Sabiá”, “Samarica parteira”, “Siri Jogando Bola” etc.

O cantor e compositor Daniel Bueno também é filho de Carnaíba. O músico já gravou com grandes nomes da música popular brasileira em 12 CDs lançados. “Fazenda de Vovô”, “O Filme”, “As Coisas que Deixei Ali” e “Minha Saudade” (com Geraldo Freire) são músicas de destaque.