Ouricuri Pernambuco

Ouricuri é um município brasileiro do estado de Pernambuco.

Seu nome provém da denominação popular da palmeira Syagrus coronata, nativa da região Nordeste do Brasil.

Localizado no Sertão pernambucano, ocupa uma área de 2.373,9 km² e representa 2,25% do Estado de Pernambuco. Distando 620,6 km da capital. O município possui uma malha rodoviária privilegiada, sendo cortado pelas BR-316 e BR-122, ocupando posição central e de destaque na Região de Desenvolvimento do Araripe. Atualmente, Ouricuri abastece pelo menos outras oito cidades da Região (composta de 10 municípios) em bens e serviços, sendo Sede de importantes instituições governamentais, bancárias e fiscais, atraindo centenas de pessoas todos os dias.

OuricuriEntrada

História

Os primeiros registros sobre a região datam do século XIX sobre uma extensa fazenda de gado de propriedade de dona Brígida Alencar. Partes desta fazenda foram vendidas ao casal João Goulart. Este casal fixou residência em uma região onde o pasto era mais abundante para o gado e denominaram esta região de Aricuri, que significa “duas serras juntas”.

Em 1839, o juiz da Comarca de Boa Vista, Alexandre Bernardino Pires fixou residência na região, fugindo de uma peste então chamada de “Carneirada”. Em 5 de abril de 1841, o Pe. Francisco Pedro da Silva, oriundo da cidade de Sousa, no estado da Paraíba, comprou terras de D. Brígida a fim de erguer uma capela em homenagem a São Sebastião. Ao transferir a propriedade, o padre mudou o nome para Ouricuri, nome de uma palmeira. Assim, o desenvolvimento do povoado ocorreu pelas atividades agropecuárias e em torno da capela.

Em 30 de abril de 1844 foi criado o distrito, que foi elevado à categoria de vila em 1849. Em 1893 tornou-se município autônomo. Em 14 de maio de 1903 foi elevado à categoria de cidade.

A Terra dos Voluntários da Pátria

Ouricuri-PE: 7º Batalhão de Voluntários da Pátria

Fonte: Livro “Ouricuri: História e Genealogia, Raul Aquino, 1982”.

A guerra do Paraguai rebenta em novembro de 1864 com a invasão do Estado de Mato Grosso pelos paraguaios, dirigidos pelo ditador desvairado, embora bravo, general Francisco Solano Lopes, trazendo inquietação ao Imperador Pedro II. Contando com um contingente militar pequeno e a Guarda Nacional formada por pessoas despreparadas que viviam das honrarias do cargo, o Imperador necessitava defender nosso solo invadido. Pelo decreto imperial 3371, de 7 de janeiro de 1865, cria os corpos de voluntários que seriam formados no território brasileiro congregando homens que voluntariamente se incorporariam às nossas forças armadas no teatro de guerra.

Coube ao então deputado provincial padre Francisco Pedro da Silva, a incumbência de reunir em Ouricuri, pessoal para defender o Brasil na guerra contra o Paraguai. O decreto de convocação foi divulgado amplamente nos sertões de Pernambuco e Piauí. Aberto o alistamento militar, foram inscritos 408 homens.

(…)

Dos 408 integrantes, pouco mais de 40 retornaram ao torrão natal entre estes, vários mutilados. Os outros, cerca de 368 ficaram no túmulo do soldado desconhecido, mortos em combate ou atingidos pelo cólera que grassara nas tropas provocando grandes baixas.

Com a volta dos nossos heróis a Ouricuri, ao passarem pelo Rio de Janeiro, Dom Pedro II entrega ao comandante, tenente-coronel Felipe, a bandeira do nosso batalhão, na qual fora bem bordada a seguinte inscrição: “7° Batalhão de Voluntários da Pátria de Ouricuri”. Essa bandeira, homenagem ao nosso município, foi depositada no altar de São Sebastião, de nossa Igreja Matriz, guardada por muito tempo pelo vigário comendador Francisco Pedro, e após sua morte, pelo coronel Anísio Coêlho. Essa bandeira, por intermédio de Mário Melo, convencendo o interventor Carlos de Lima Cavalcanti, encontra-se no Museu do Estado como relíquia histórica. Bandeira essa, um patrimônio da Igreja Matriz de Ouricuri, infelizmente, sendo exposta no Museu do Estado de Pernambuco, única do gênero!

Relevo

Ouricuri situa-se na unidade dos Maciços e Serras Baixas, com altitudes entre 300 a 800 metros. Os maciços constituem-se em relevo pouco acidentado e em solos de alta fertilidade.

Essa unidade ocupa área expressiva nos Estados do Ceará, Pernambuco, Paraíba e Rio Grande do Norte. É formada por maciços imponentes, que se caracterizam por relevo pouco acidentado, com solos de alta fertilidade, os quais são bastante aproveitados nas partes mais acessíveis do relevo.

Vegetação e solo

A vegetação é composta por Floresta Caducifólia e Caatinga Hipoxerófila. Nos Topos e Vertentes de Relevos Ondulados, ocorrem os solos Brunizens, pouco profundos, bem drenados, textura argilosa e fertilidade natural alta. Nos Topos e Vertentes d e fertilidade natural alta. Nos Topos e Vertentes de Relevos Fortes Ondulados e Montanhosos, ocorrem os solos Litólicos, rasos, pedregosos, ácidos e de fertilidade natural média. Nos Fundos de Vales Estreitos, ocorrem os solos Aluviais, profundos, moderadamente drenados e fertilidade natural alta.

Economia

Ouricuri situa-se no Pólo Gesseiro do Araripe. Nesta região formou-se uma indústria extrativa deste mineral, responsável por 95% da extração de gesso no país.

Na agricultura, os principais produtos são o umbu, o tomate e o angico. A agricultura de subsistência produz mandioca, feijão, milho, cebola. A extração de carvão vegetal, lenha e madeira em tora representam parcela significativa da economia.

Na pecuária, predominam o gado bovino, ovino e caprino.

EVENTOS:

Dentre os principais festejos populares de Ouricuri destacam-se o Carnaval e a festa da Exalação da Santa Cruz. Esses eventos são animados pelos diversos grupos folclóricos existentes na cidade, que levam a moradores e turistas a beleza de espetáculos como a Dança de São Gonçalo e o Bumba-meu-boi.

_MAR3339

Outra atração do município é a sua vaquejada, festa ideal para quem quer conhecer um pouco mais da cultura nordestina. Durante o evento, inúmeras barraquinhas comercializam o artesanato produzido na cidade, como panelas de barro e de sandálias de corda.