Serra Talhada a capital do Xaxado no Sertão de Pernambuco

Serra Talhada é um município brasileiro do estado de Pernambuco. É conhecido como a capital do xaxado e fica a 415 km da capital pernambucana, Recife. Serra Talhada é a segunda cidade mais importante do Sertão de Pernambuco e o principal município da Mesorregião do Sertão Pernambucano. Cidade pólo em saúde, educação e comércio, possui uma população estimada em mais de 80 mil habitantes. É a segunda cidade que mais cresce no sertão pernambucano atrás apenas de Petrolina. É a terra natal do cangaceiro Virgulino Ferreira da Silva (Lampião).

Serra Talhada era uma fazenda de criação pertencente ao português Agostinho Nunes de Magalhães. Recebeu este nome, Serra Talhada, devido ao fato de que perto do local há uma montanha cujo formato dá a ideia de que foi cortada a prumo.

Seu crescimento se deu em função de sua posição estratégica, no cruzamento das estradas de acesso à Paraíba, Bahia e Ceará.

A Lei Provincial 52, de 19 de abril de 1838, mandou erigir a capela de Nossa Senhora da Penha da Serra Talhada em Pajeú de Flores.

Com a Lei Provincial nº 280, de 6 de maio de 1851, agregando a seu território a então Vila Bela e a Comarca de Flores, foi elevada à categoria de município.

Administrativamente, o município é formado pela sede e pelos distritos de Bernardo Vieira, Pajeú, Tauapiranga, Caiçarinha da Penha, Logradouro, Luanda, Santa Rita e Varzinha.

Os times de futebol da cidade são o Serrano Futebol Clube, Ferroviário Esporte Clube (Serra Talhada) também o extinto Comercial Esporte Clube (Serra Talhada) e o principal, Serra Talhada Futebol Clube.

SERRA-TALHADA-PE1 (1)

História :

A cidade teve seu início em meados do século XVIII, com a chegada do capitão-mor da esquadra portuguesa, Agostinho Nunes de Magalhães, que arrendou a sesmaria à Casa da Torre, às margens do Rio Pajeú e no sopé da Serra Talhada, instalou a fazenda de criar gado que denominou Fazenda da Serra Talhada, numa alusão direta à serra que lhe emprestava o nome.

Agostinho Nunes de Magalhães, juntamente com seus filhos Joaquim, Pedro, Damião, Manoel e Filadephia, como tantos outros portugueses, migrou para o brasil na esperança de instalar um engenho de cana-de-açúcar, e só depois de desembarcarem é que descobriram não possuir capital suficiente para tal empreitada, assim, seguindo os passos de outros compatriotas seus, adentraram nos sertões para explorar a criação de gado. A posição privilegiada dos currais de Agostinho Nunes, nos caminhos que levavam ao Ceará, Paraíba, e Bahia, logo passaram a ser ponto de encontro de vaqueiros e peões que transportavam seu gado para estes estados, e assim, despretensiosamente começa a formar-se um ajuntamento de feirantes, negociando principalmente animais, dentre outros bens. Isto aconteceu por volta de 1789/1790, na mesma época em que era erigida uma capela para a fazenda sob bênçãos de Nossa Senhora da Penha. Nascia aí também a vocação mercantilista do município. A feira de Serra Talhada hoje tem aproximadamente 220 anos, sendo que desde a primeira vez que aconteceu (segunda-feira), continua até hoje sendo realizada neste mesmo dia da semana.

Com o comércio surgido pelo ajuntamento dos vaqueiros, peões e tropeiros, a fazenda começa a tomar ares de povoado e logo se transforma em Villa Bella, nome adotado quando de sua emancipação de Flores, até então cabeça de comarca, em 6 de Maio de 1851. A partir dessa data passa a ter um intendente, o Coronel da Guarda Nacional Manoel Pereira da Silva Comendador da Ordem da Rosa e de Cristo neto do fidalgo da Casa da Torre José Carlos Rodrigues e sua esposa Ana Joana Pereira da Cunha, fundadores das históricas Fazendas Sabonete, Carnaúba, patriarcas da poderosa família Pereira que foram senhores e barões de toda ribeira do Pajeú; verdadeiros ícones do coronelismo brasileiro, segundo o qual, em pleno Século XXI, é possível achar bonito indivíduos serem donos de cidades.

Em 1893 é instalada a primeira Câmara Municipal de Serra Talhada e eleito seu primeiro prefeito, Andrelino Pereira da Silva, o Barão do Pajeú. Somente em 1939, por um decreto do então governador Agamenon Magalhães, Villa Bella recebe de volta seu nome de origem e passa a chamar-se Serra Talhada – “Terra de cabras Macho”.

26804214

Igreja de Nossa Senhora da Penha.

A casa do Rei do Cangaço

Se a figura do Lampião e José Bastor Campos representa a Rota do Cangaço e do Lampião, Serra Talhada não pode ficar de fora do roteiro.

Localizada a 415 km da capital, a terra de Virgulino Ferreira da Silva é cortada pela BR-232. É lá que estão guardados vá

baixar

Lampião – Rei do Cangaço – Filho de Serra Talhada.

rios pertences do Rei do Cangaço: as armas, roupas de couro. É onde se pode assistir a uma apresentação de xaxado, cujo nome foi dado devido ao som do ruído que as sandálias dos cangaceiros faziam ao arrastarem sobre o solo durante as comemorações celebradas nos momentos de glória do grupo de “Lampião”.

A imponente Serra Talhada marca a paisagem da cidade, onde está o cruzeiro da cidade, que proporciona belas vistas como a do mirante do Talhado do Urubu. O centro do município tem a Igreja de Nossa Senhora da Penha, com seus belos vitrais, e o casario do entorno.

Turismo

Trata-se de um atrativo turístico de grande relevância para o local, devido à sua formação rochosa, granítica, sua altura e estrutura, e propícia à prática de esportes radicais como rapel e escalada. Sua vegetação, a caatinga, único bioma exclusivamente brasileiro, permite ainda a abertura de trilhas ecológicas, corridas de aventura, interpretação do próprio bioma, estudos científicos, observação de pássaros, turismo fotográfico, entre outros.

A Serra de Serra Talhada

Igreja Matriz da Cidade.

  • A Serra que deu origem ao nome da cidade. Esta, além de uma estética fascinante, possui trilhas, para aqueles que gostam de se aventurar, e ao chegar ao topo, no cruzeiro, se deslumbram com a vista de toda a cidade e de parte do Vale do Pajeú. Quando em época de chuva, pode-se aproveitar pequenas cachoeiras que se formam nos rochedos. Existem grupos na cidade que aproveitam as formações rochosas para praticar rapel.
  • Rota do Cangaço – Serra Talhada é o destaque principal da Rota do Cangaço: No início do século XX bandos de cangaceiros circulavam pelas terras do Sertão despertando admiração e medo nas cidades por onde passavam. A imagem do cangaceiro ajudou a formar o imaginário popular do nordestino. Mais que isto, virou uma marca do povo sertanejo. A rota do Cangaço e Lampião conta um pouco da história dos bandoleiros nômades, a perseguição das volantes policiais e mantém viva a memória de Virgulino Ferreira da Silva, o maior ícone do cangaço, morto em 1938. A rota percorre as cidades de Triunfo, Flores, Santa Cruz da Baixa Verde, Serra Talhada, Afogados da Ingazeira, São José do Belmonte, São José do Egito e Tabira. A Rota do Cangaço e Lampião é um mergulho na mitologia do Nordeste. Um lugar perfeito para turismo histórico, de aventura e técnico científico. Acesse Pernambuco conhece Pernambuco
  • Igreja Matriz de Nª Senhora da Penha – uma monumental obra, linda de todos os ângulos, uma das mais belas de todo o estado de Pernambuco. Chama a atenção por seu estilo neoclássico, e por seu tamanho e altura imponente.
  • Igreja Nª Senhora do Rosário – pequenina, porém bela, foi construída à mão de obra escrava. Foi ao seu redor que se deu início a cidade de Serra Talhada, na época chamada de Vila Bela.

Igreja do Rosário.

  • Casa da Cultura – uma bela construção antiga, que já foi sede do cartório, hoje abriga peças de toda a história de Serra Talhada, desde Lampião, filho ilustre da cidade, fotos de pessoas importantes do município e de suas “misses”, que em três anos consecutivos levaram o prêmio de Miss Pernambuco, objetos do Padre Jesus, figura importante na construção da Igreja Matriz, e outras peças históricas.
  • Sítio Passagem das Pedras – fica a 42 km do centro da cidade, local onde nasceu o cangaceiro Lampião, no local ainda há um pequeno museu onde existe um grande acervo de fotos e objetos do cangaço;
  • Museu do Cangaço – esse fica localizado na Estação do Forró, instalado em um prédio da antiga estação ferroviária da cidade;
  • Estação do Forró – local onde ocorrem as festas juninas do município, lá você encontra uma pequena cidade cenográfica, com casas de madeira e de barro, além, é claro, do antigo prédio da estação, neste local durante todo o ano, ocorrem apresentações culturais, uma das mais famosas é o Encontro Nordestino de Xaxado, onde se apresentam grupos de todo o nordeste e também grupos locais, como “Os Cabras de Lampião”, grupo que já fez apresentações em todo o Brasil e no exterior
  • Açude Jazigo, em épocas de cheias, esse açude forma em seu paredão uma imensa cortina de água, que faz parar quase todos que passam pela rodovia BR-232.

Açude Jazigo.

  • Açude Cachoeira – tem esse nome por que, quando cheio, seu bebedouro transborda e forma uma bela cachoeira, onde um grande número de pessoas aproveitam para o banho. Independente da época, lá há um mirante de onde se pode ver um belo pôr-do-sol. É possível também praticar a pesca e passear de barco ou canoa.
  • Barragem de Serrinha – uma das maiores barragens de Pernambuco, você poderá apreciar as pequenas ilhas e praias de água doce.
  • Mirantes – como o Talhado do Urubu, com magnífica visão da Chapada do Araripe, do Vale do Pajeú e do Açude do Saco.
  • Ponte sobre o Rio Pajeú – esta ponte liga o centro da cidade ao bairro Cachixola, dela tem-se uma bela vista do Rio e da Serra; o Rio Pajeú nasce na Serra do Balanço, Município de Brejinho, Divisa Pernambuco-Paraíba. Percorre uma distância de 347 km até desaguar no Rio São Francisco no lago da Barragem de Itaparica.
  • Casa do Artesão – está localizada na praça da Igreja do Rosário, conhecida como Concha Acústica, neste ambiente existe um grande número de peças artesanais feitas por diversos artesãos da cidade.
  • Shopping Serra Talhada – (em construção) – com 68 lojas, sendo, 4 Salas de Cinema, 3 Lojas Âncoras, 3 Mega Lojas, 46 Lojas Satélites, 13 Lojas de Alimentação, 1 Game Infantil e 1 Academia. A área bruta locável é de 9.799,48m².

Festas e comemorações

  • Carnaval: nos últimos anos a cidade tem melhorado cada vez mais suas festividades de momo.
  • Aniversário (Emancipação política): ocorre no dia 06 do mês de maio.
  • Encontro Nordestino de Xaxado: acontece na estação do forró, se apresentam grupos culturais de todo o nordeste.
  • São João: um dos melhores da região, ocorre na Estação do Forró, ponto turístico da cidade.
  • ExpoSerra: evento consagrado, uma das maiores feiras comerciais do nordeste, sempre conta com apresentações musicais de nível nacional.
  • Festa de Setembro(Festa da Padroeira Nossa Sra. da Penha): conhecida como Festa de Setembro, é a maior e mais badalada da cidade, atrai pessoa de toda a região e também de fora do estado, sempre com atrações de peso.
  • Natal e Fim de Ano: a cidade sempre conta com festas de fim de anos, onde a população se junta para celebrar a chegada de mais um ano e admirar a ornamentação arrojada da Praça Sérgio Magalhães que sempre chama atenção por sua beleza.

Filhos ilustres

  • Agamenon Magalhães – político e promotor
  • Arnaud Rodrigues – ator, cantor, compositor e humorista
  • Batoré – humorista
  • Inocêncio de Oliveira – médico e político
  • João Santos – economista e industrial
  • Luís Wilson – político, médico e escritor
  • Solidónio Leite – filólogo e intelectual
  • Virgulino Ferreira da Silva – Cangaceiro